Relacionamentos

Relacionamentos amorosos – reflexão sobre o casamento

Na época de namoro, tudo é lindo. O compromisso ainda não está bem delineado e cada um tem a sua própria vida individual. Então, o casal opta em seguir adiante e passa para a próxima etapa da vida: o casamento. Em uma união feita como de costume, o primeiro grande desafio do casal é a cerimônia e a festa que celebram esse fato. Ninguém pensa nos detalhes que passarão a fazer parte de suas vidas do dia seguinte em diante.
Para os homens, nem sempre há uma mudança tão grande em sua rotina habitual, a não ser que eles entrem de cabeça no compromisso e aceitem a divisão de responsabilidades igualitária que envolve um casamento bem-sucedido. Já para as mulheres, a mudança é total. De filha, cuidada por seus pais, agora é ela quem cuidará dos outros e da casa. Como a cultura mundial é de que as mulheres devem ser as responsáveis pela família e pelos afazeres domésticos, com o casamento ela recebe essas funções automaticamente.
O casal deve ter, em primeiro lugar, parceria. E com o tempo precisam construir confiança e respeito mútuo. Sem esses ingredientes, não haverá uma união bem-sucedida e serão apenas duas pessoas individualistas dividindo o mesmo teto. Hoje, infelizmente, essa última situação é mais comum do que se imagina, por isso torna-se tão importante saber tomar a decisão certa para não se arrepender depois e nem trazer sofrimento desnecessário para pessoas inocentes (os filhos). O casamento exige responsabilidade e nem sempre os envolvidos estão dispostos a isso.
E para quem pensa que só quem se casa na igreja ou no cartório é que está arriscado a viver em uma situação indesejada, fica a dica de que isso também pode ocorrer com as uniões estáveis. Tanto de modo positivo quanto de modo negativo, essas uniões não formalizadas também podem ter os mesmos percalços e precisam dos mesmos cuidados. As pessoas às vezes pensam que, por não existir um documento que sele o compromisso, não possuem responsabilidades perante o(a) companheiro(a). Ledo engano! Uma união é uma união, não importa se está formalizada pelas regras da sociedade ou não. Tem muito “namoro eterno” que é uma união estável, onde o casal já está vivendo diante das regras de comunhão e parceria, mas procuram fingir que isso não é verdade, tentando viver juntos uma vida de solteiro. Basta olhar à distância para perceber o como a rotina de ambos já mudou e eles nem se deram conta…
Confira no vídeo as minhas reflexões sobre o casamento e entre nessa nova etapa de sua vida consciente de suas escolhas e responsabilidades.
Namastê.


Seja o primeiro a comentar!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *