Relacionamentos

O outro lado da moeda

O outro lado da moeda

(foto: Pixabay – Pexels.com)

Tudo na vida tem os dois lados. Quando alguém expõe para uma pessoa a sua verdade sobre uma determinada situação, está colocando ali somente o seu lado da questão, sem se importar com as consequências dessa atitude. O ouvinte, antes de sair fofocando sem pensar, deveria pesquisar mais a fundo o que realmente está acontecendo e logo perceberá que existe o outro lado da moeda. É necessário ter que ouvir os dois lados de uma questão para depois ter condições de realizar um julgamento mínimo sobre a situação como um todo. Cada lado tem a sua razão. Quem pode saber se está bom ou não está, é a própria pessoa envolvida e ninguém mais.
Infelizmente, tem gente que pensa que tem uma fórmula mágica para resolver as coisas à sua maneira e acaba se metendo na vida dos outros dando conselhos ou fazendo críticas que, na maioria das vezes, vão mais atrapalhar do que ajudar. Quem está fazendo o que não quer, vivendo com quem não quer, é quem tem que decidir o que quer realmente. Palpites nunca funcionaram e nunca vão funcionar, mesmo a pessoa tendo a melhor das intenções; e, como diz um velho ditado, “de boas intenções o inferno está cheio”. Além disso, estamos vivendo na era do coitadismo: alguém tem culpa de alguma coisa e alguém é coitadinho em alguma coisa… É um momento da história realmente desafiador, porque temos que ter muito jogo de cintura para lidar com aqueles que ainda não passaram por uma transformação espiritual.
Mais grave ainda, é aquele que fica ouvindo somente um lado e pré julga o outro sem saber na verdade do que se trata! Analisemos a situação: alguém, por algum motivo, começa a falar mal de uma pessoa, apenas por não concordar com o modo em que ela quer viver, passa esse sentimento rancoroso para outra, que não tem nem o bom senso em querer conhecer o outro lado da questão e já sai repetindo as mesmas coisas que ouviu. Sabe onde isso vai chegar? Quem passa a ser o vilão da história? Num primeiro momento, você pode até achar que é a pessoa que está contando a sua história, mas, se pensarmos de maneira prática, será aquele que ouviu sem querer saber da verdade toda e ainda passou adiante uma reclamação que nem é sua, somente para satisfazer aquele a quem deu ouvidos.
Se a pessoa que ouviu alguma crítica sobre outra não passar adiante, essa crítica não terá efeito algum, acaba ali. Mas, isso é muito difícil de acontecer. Todo mundo se acha no direito de julgar pessoas que nem são do seu convívio. O ideal seria ir direto na pessoa que está sendo acusada e ter uma conversa franca com ela, do que ficar de leva-e-traz dos outros. Jogar limpo com quem quer que seja, esta é a melhor solução, sempre! Toda fofoca feita por alguém que nem sabe dos fatos reais, que não procurou saber da verdade, é mais destruidor do que quem exprimiu o desejo de vingança de maneira sutil. Sim! A pessoa que deseja se vingar de alguém por qualquer motivo, inventa um monte de mentiras e sai falando para todo mundo no intuito de prejudicar o outro. Mas quem passa adiante está prejudicando duas vezes mais.
O ser humano precisa vigiar todos os dias os seus pensamentos e se perceber que um deles pode induzir ao erro, deve eliminá-lo o mais rápido possível. O cérebro é muito preguiçoso e, quando tem alguma informação, ele trata de se limitar a apenas guardar o que é relevante para ele, sem pensar muito. Porém, cada pessoa tem a sua forma de ver o que é certo e o que é errado. As relevâncias são diferentes de pessoa para pessoa, pois cada um tem as suas crenças. Por exemplo: se uma pessoa, por mais bem intencionada que seja, tem algum tipo de interesse naquele que está destilando todo o seu veneno em cima de outra, logicamente irá concordar com tudo, sem fazer nenhum tipo de questionamento, sem pensar no quão prejudicial isso possa ser.
Existe também a possibilidade da pessoa que está ouvindo aquilo não querer ter mais informações, porque pensar cansa. O cansaço, desanima. Então, o melhor é não ter opinião própria, melhor é ter tudo pronto e pouco importa se a fofoca vai fazer alguém sofrer. É o tipo de pessoa que não pensa por si mesma, mas precisa que outros pensem por ela. E então, sai falando o que foi passado para ela, só pelo simples fato de fazer com que os ouvintes pensem que ela é descolada, que sabe de tudo, que está sempre à frente. Que pena que este tipo de pessoa ainda existe! Não serve para nada, apenas é um bode expiatório que passa as informações que o agressor quer que ela passe. Quando não for mais útil, será a próxima vítima!
Para esse tipo de pessoa, minha recomendação é: abra o olho. Porque o que um ser narcisista faz para uma pessoa, fará para qualquer outra, não importa o quanto ela pense que está segura ao lado dele. E deixe de ser ferramenta de abuso, porque mesmo que a justiça terrena demore a acontecer, a justiça divina nunca falha. O que plantamos é o que colhemos, não importa se as intenções foram boas ou ruins. Contribuir para a destruição de outra pessoa é um fardo desnecessário que esse tipo de pessoa preguiçosa e fofoqueira irá carregar até que essas energias sejam purificadas.
Espero que este artigo possa trazer algo de produtivo para transformar a mente das pessoas e se ele foi útil para você, curta, compartilhe e diga aqui nos comentários de que maneira fazer essa leitura contribuiu para sua evolução pessoal.

Namastê.


Seja o primeiro a comentar!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *