Lei da atração

Tudo o que é de graça tem um preço

O que realmente significa ter acesso à produtos e serviços gratuitos? Significa que alguém teve que pagar esse preço em algum momento. As pessoas que oferecem conteúdo gratuito na internet, por exemplo, não recebem o retorno desse trabalho imediatamente, porém têm um gasto para realizá-lo. Além disso, esperam (e com razão) que em algum momento essa atitude lhes traga algum tipo de retorno, que pode ser um ganho financeiro a longo prazo ou simplesmente visibilidade para tornar o seu trabalho principal conhecido. Mesmo os serviços prestados pelo governo, vistos erroneamente como gratuitos, não são realmente de graça. A população paga impostos, então significa que esses serviços não vêm sem remuneração.
Existem pessoas que tentam distorcer a realidade, assim como o satanás descrito na Bíblia. Elas conhecem a verdade, sabem como funciona e manipulam aqueles que ainda não a conhece para que absorvam um conhecimento com várias interferências. O que dizem aparenta ser verdade, mas não é. Fazem isso propositalmente, para que possam obter poder sem precisar fazer muito esforço.
Dentro dessas doutrinas infundadas, está o pensamento de que se tudo for gratuito será melhor para todos. Será melhor para quem? Se você trabalha, não importa se é em um cargo executivo ou operacional, se você é estudante ou dona-de-casa, todos merecem ter a remuneração pelo seu trabalho. E quanto mais a pessoa se dedica, mais eu defendo que ela deve ser remunerada pelo que faz.
Quando a Lulu era adolescente, uma professora disse em sala de aula que o aluno dedicado deveria ter uma mesada paga pelos pais, pois seria como se fosse o seu salário pelo bom rendimento. Ela conta que quando foi dizer isso para seus pais, eles ficaram furiosos. Isso ocorreu por conta de um pensamento de escassez enraizado e falta de responsabilidade com o futuro do filho. Pensando de maneira lógica, se você quer que seu filho prospere e seja alguém na vida, é necessário que ele seja recompensado pelos bons comportamentos. Dessa maneira, ele aprenderá desde cedo o que significa ter contato com o dinheiro e responsabilidade para obtê-lo e usá-lo. Assim quando ele chegar na fase adulta, onde terá que buscar um trabalho que o remunere, ele já saberá o que significa lidar com o dinheiro e se sentirá mais seguro para fazer isso.
O que dizer então do trabalho da dona-de-casa? É um serviço ingrato, pois além de envolver riscos, há uma pressão psicológica enorme. E não tem nenhuma regulamentação. Não há horário de descanso, salário, férias, 13º, adicional de insalubridade etc. Algum espertinho ainda pode dizer: “Ah, mas ela tem casa e comida de graça!”. Eu pergunto: você trabalharia apenas para ter casa e comida? E é de graça mesmo? Se fosse, ela teria pelo menos direito a horários de lazer, o que raramente acontece. Coloque-se no lugar de uma dona-de-casa, execute todas as tarefas que ela faz e depois poderemos conversar…
Têm pessoas que adotam como estilo de vida conseguir tudo de graça. E reclamam quando os profissionais cobram pelos seus produtos ou serviços. Essa atitude bloqueia a prosperidade e demonstra que não respeitam o que as outras pessoas fazem, pois se respeitassem, iriam querer que elas fossem recompensadas pelo esforço diário que fazem. E não respeitam a si mesmas, porque aceitam qualquer coisa, desde que seja gratuitamente. Esse pensamento prejudica não apenas sua própria vida, porque esse tipo de gente sempre terá coisas que estão incompletas ou são de baixa qualidade, mas prejudica também o coletivo, porque quando o dinheiro não circula, a vida de todas as pessoas fica estagnada.
No meio disso tudo, há aqueles que se julgam espertos. Querem levar vantagem em tudo! Conheci um empresário que colocava sua esposa e seus filhos para trabalharem de graça para ele, pois dessa forma ele podia pegar todo o dinheiro que ganhavam e gastar como queria. Nesse caso, ainda por cima, se tratava de um narcisista que usava desse recurso para diminuir os familiares e mantê-los aprisionados. Como as finanças eram controladas por ele, a família foi praticamente destruída por conta desse pensamento. E ainda hoje ele usa as pessoas que estão ao seu redor para que elas façam as coisas de modo que ele possa obter algum benefício sem ter que retribuir quase nada. Lastimável…
No vídeo, eu faço outras reflexões sobre esse assunto e recomendo que você assista para entender minha linha de raciocínio. O que reforço é que quem deseja obter prosperidade e ter uma vida abundante não pode ter como características o narcisismo, a avareza, o egoísmo, a corrupção, a ganância destrutiva ou qualquer outro aspecto negativo. Para obter o crescimento individual, não é preciso obstruir o crescimento dos outros. Essa é a característica básica do pensamento criativo.
É com base nesse pensamento que eu e a Lulu construímos nossa vida, e é um dos pilares da Munalú. Por isso, cobramos pelos nossos serviços sim, porque merecemos o retorno do nosso trabalho ao qual nos dedicamos de corpo e alma, mas sempre retornamos essas bênçãos ao Universo, seja quando pagamos por algo que recebemos ou quando contribuímos com alguém que tem menos do que nós. Assim mantemos a roda da prosperidade em pleno funcionamento.
Você mantém a roda da prosperidade girando? Conte pra gente como você se conecta com essa energia de abundância e, se essa mensagem faz sentido para você, compartilhe com os seus amigos e familiares.

Que o Universo abençoe sua vida!

Namastê.


Seja o primeiro a comentar!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *