Lei da atração

Sou ateu e agora?

Eu sempre digo aos meus alunos e clientes que o mal da humanidade é se apegar em rótulos do mundo fenomênico, pois eles geram muitas crenças limitantes. Uma pessoa que segue o canal da Munalú perguntou sobre quem iria ampará-la, uma vez que ela se reconhece como atéia.
O ateu, como significado da palavra, é alguém que não crê no Deus apresentado pelas religiões. Isso não impede que essa pessoa tenha outros tipos de crenças. E é muito desolador imaginar que vivemos toda uma vida para nos depararmos com um total vazio após nossa partida deste mundo. Não faria sentido vivermos debaixo de tantas regras, caso o resultado final fosse o simples fim e pronto.
Existe um propósito por trás de tudo o que fazemos e esse aprendizado durante nossa jornada com toda a certeza servirá para um próximo passo após a morte. O fim desta vida significa início de outra etapa que ainda não temos como definir precisamente, pois ainda não faz parte do conhecimento deste plano que vivemos. É possível perceber a presença da espiritualidade, das energias e das Leis em cada passo que damos e não é necessário muito esforço para isso. Você está sentado(a) em sua cadeira agora e o que mantém você preso(a) à ela é a Lei da Gravidade. Sem essa Lei, você estaria flutuando, provavelmente sem rumo. É essa Lei em conjunto com tantas outras que mantêm os planetas onde estão. A Terra está a uma distância precisa do Sol e isso se deve às Leis Naturais. A vida na Terra é possível porque essas Leis funcionam de maneira matematicamente precisa. Isso é fato e não suposição. Os cientistas comprovam isso.
Compreender a Mente do Universo através das religiões pode ser desafiador, pois umas apresentam Deus como bondade pura e outras O apresentam como um punidor sem coração. Tudo isso se deve às crenças limitantes de pessoas que tentam provar seu ponto de vista com base em algo restrito. Elas estão certas ou erradas? Eu diria que estão tanto certas como erradas, pois o conhecimento que oferecem possui uma essência verdadeira, mas quando essas informações esbarram no ego do ser humano, ganham alguns pontos que não são verdadeiros. Conhece o ditado de que quem conta um conto aumenta um ponto? É isso que acontece com qualquer conhecimento humano. Os cientistas não estão livres desse mal. Quando querem comprovar um ponto de vista a todo custo, também acabam gerando resultados controversos.
Então, em quê é certo acreditar? Não existe certo ou errado. Eu sempre sugiro que a pessoa crie em sua mente aquilo que faça ela se sentir bem, pois um dos maiores propósitos da vida é esse. Se sentir bem se baseia em tudo o que faz você se sentir em paz, calmo(a), leve, com disposição, livre, forte, sem ansiedade, sem medo, sem raiva e sem qualquer outro sentimento negativo. Se existe algo que está em desarmonia dentro de uma pessoa, ela logo receberá o aviso, pois todos os atos têm consequências. Esse aviso pode ser ter um relacionamento ruim, viver doente, viver na escassez ou qualquer outra situação negativa. O contrário também é verdadeiro. Uma pessoa sabe que está indo na direção certa quando tem saúde, abundância, bons relacionamentos etc. Tudo o que acontece em nossas vidas é um sinal de que rumo estamos tomando e temos o livre-arbítrio (que também é uma Lei) para mudarmos a direção a qualquer momento.
Como ex-cética, posso dizer com toda a certeza de que temos energias trabalhando ao nosso redor constantemente e elas podem nos ajudar ou nos atrapalhar conforme nossas crenças. Eu lhe convido a assistir ao vídeo para se libertar de qualquer crença limitante que você tenha sobre esse assunto. Depois, diga aqui nos comentários como essa mensagem contribuiu para sua vida.

Que o Universo ilumine sua vida!

Namastê.


Seja o primeiro a comentar!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *